sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Execução Orçamentária de oito meses da Saúde, da Educação e da Assistência Social do segundo ano do Governo Rafael Diniz




Execução Orçamentária de Janeiro a Agosto do ano de 2018/2017

Fonte: PMCG

O gráfico e tabela registram as dotações orçamentárias ou os valores aportados no orçamento inicial do Município de Campos, aprovado pela Câmara Municipal, juntamente, com a execução orçamentária, referente ao período de janeiro a agosto de 2018, comparado ao mesmo período do ano de 2017. Segundo o demonstrativo da execução da despesa por função da área social.

Como se observa, de janeiro a agosto de 2018 na área da Saúde o valor executado foi de R$ 488,575 milhões,  ou seja 78,20%, da dotação orçamentária inicial que foi de R$ 624,785 milhões.  Neste mesmo período do ano de 2017, o executado foi de R$ 472,426 milhões, o que representa 90,81%, da dotação aprovada pelos vereadores, no total de R$520,212 milhões. Pode-se dizer, então, que os gastos na área da saúde deste ano, foram menores proporcionalmente, quando comparados ao ano passado.

No que se refere, ao orçamento da área da Educação, em 2018 de janeiro a agosto, os gastos atingiram o patamar de R$ 205,329 milhões. Tal quantitativo, representa 53,25% do orçamento de R$ 385,574 aprovado originalmente. Já no ano de 2017, neste mesmo período analisado, a execução financeira foi de R$ 197,538 milhões ou 64,20%, do orçamento inicial de R$ 307,680 milhões.   Assim , como no caso, da saúde em 2018, os aportes financeiros foram também inferiores, ao do ano de 2017, considerando, obviamente, o aspecto do ponto de vista proporcional.

Agora, em relação a execução financeira da Assistência Social, em 2018 de janeiro a agosto, os gastos foram de R$ 21,352 milhões, ou 32,94%, do orçamento original aprovado, cujo montante foi de R$ 64,824 milhões. Em 2017, esta relevante área do município teve o orçamento menor. O valor ficou em R$ 45,423 milhões e se gastou no período de janeiro a agosto o quantitativo de R$ 37,597 milhões, ou 82,77%, do valor orçamentário aprovado inicialmente. Percebe-se, de acordo com esta realidade que os gastos de 2017, também, foram superiores proporcionalmente, aos executados do ano de 2018.  

Finalmente, os dados acima, retratam a conjuntura da execução orçamentária e financeira, de oito meses de 2018/2017 do segundo ano, do Governo Rafael Diniz.  
            


quinta-feira, 18 de outubro de 2018

China x Brasil agora juntos no COMPERJ

Folha x Investimentos da Prefeitura Municipal de Campos



Folha e Encargos x Investimentos da Prefeitura Municipal de Campos - Janeiro a Agosto de 2018/2017 

Fonte: PMCG

Conforme os dados da execução orçamentária e financeira do orçamento municipal e registrado, no gráfico e na tabela, a folha dos servidores da prefeitura de Campos, de janeiro a agosto do ano de 2018, considerando a parcela do décimo terceiro salário do ano de 2017, cujo pagamento ocorreu em fevereiro de 2018, ficou em R$ 649,783 milhões. A do ano de 2017, neste mesmo período totalizou o valor financeiro de R$ 578,340 milhões. O crescimento da folha e os seus encargos de 2018, em relação aos oitos meses do ano de 2017, teve  crescimento relativo de 12,35%.

Agora, no que se refere a curva de investimentos, no ano de 2018 o aporte financeiro em oito meses atingiu o patamar de R$ 13,126 milhões e em 2017, neste mesmo recorte de tempo, restringiu-se, ao quantitativo de R$ 911,719 mil. 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Gastos da pasta de Comunicação do Governo Diniz, aumentou 255,06% de janeiro a agosto de 2018/2017,enquanto, os aportes financeiros na agricultura cresceram,apenas,146,57% no mesmo período. Governo preocupado com a sua imagem!




Execução Orçamentária de janeiro a agosto de 2018/2017 do Município de Campos

Fonte: PMCG

Nos primeiros oito meses do ano de 2018, o Governo Rafael Diniz, gastou na pasta da Comunicação, o valor de R$ 2,042 milhões. Neste mesmo período do ano de 2017, os gastos relativos a esta área, restringiram-se ao quantitativo financeiro de R$ 575,299 mil.  Tal crescimento representou no ano de 2018, comparado a janeiro a agosto de 2017, o percentual de 255,06%.

Enquanto isso, no relevante segmento da agricultura, vocação natural do município, o Governo Diniz, parece ter sido bem parcimonioso. Como se verifica no gráfico e na tabela, de janeiro a agosto do ano de 2018 os gastos ficaram em R$ 162,736 mil e de janeiro a agosto de 2017, em, apenas, R$ 66,00 mil. Este crescimento de 2018/2017 foi de 146,57%.

Dentro desta conjuntura de execução orçamentária e financeira da prefeitura, pautada pela clara inversão de prioridades, dos gestores atuais, pode-se afirmar que, a imagem do Governo Diniz, possui mais importância do que o poderoso setor da agricultura, gerador de rendas e empregos na economia local. Lamentável!

Curva de investimentos do orçamento do ano de 2019 do Município de Campos, reduzirá 26,29% em relação ao orçamento do ano de 2018



Investimentos do Orçamento do Ano de 2019/2018- Município de Campos dos Goytacazes

Fonte: PMCG

A curva de investimentos do orçamento do município de Campos, relativo ao ano de 2019, comparado ao orçamento do ano de 2018, atualmente em processo de execução, reduzirá 26,29%. Para o ano que vem o valor aportado será de R$ 88,591 milhões, neste ano, o valor previsto para ser executado até o mês de dezembro está em R$ 120,184 milhões.

Será que o Governo Diniz conseguirá investir neste ano, o quantitativo de R$ 120 milhões? Vamos aguardar.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Folha de pessoal e encargos do orçamento do ano de 2019 do Município de Campos crescerá 8,83% comparado ao orçamento do ano de 2018





Folha de Pessoal e Encargos do Orçamento do Município de Campos de 2019/2018
Fonte: PMCG

A folha de pessoal e os encargos dos servidores públicos da prefeitura de Campos, no orçamento do ano de 2019, será de R$ 952,205 milhões. Tal crescimento será de 8,83%, comparado ao valor da folha e dos encargos de R$ 874,978 milhões do orçamento de 2018, executado financeiramente, no atual exercício fiscal.

Esta variação percentual, refere-se ao crescimento vegetativo da folha em razão dos seus encargos e outras despesas, que aumentam independentemente, da política salarial adotado pelo governo. 

Renúncia Fiscal x Impacto Social

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Orçamento da Agricultura do município de Campos perderá 9,68% no ano de 2019



Orçamento da Superintendência de Agricultura do Município de Campos de 2019/2018 


Fonte: PMCG

O segmento da Agricultura do município de Campos, terá no orçamento do ano de 2019, o valor de R$ 14,758 milhões, para a implementação dos seus gastos.

Tal valor representa a redução de 9,68%, do orçamento do ano de 2018, cujo quantitativo orçado está em R$ 16,339 milhões, e sendo executado financeiramente neste exercício fiscal.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Orçamento da Comunicação Social do ano de 2019, do Governo Diniz, aumentará 20,35%



Orçamento da Superintendência de Comunicação Social do ano de 2019/2018 do município de Campos

Fonte: PMCG

A área da Comunicação Social do Governo Rafael Diniz, terá no orçamento do ano de 2019, o valor de R$ 4,069 milhões, caso os vereadores aprovem o Projeto de Lei Orçamentária de 2019.

O aumento deste orçamento será de 20,35%, comparado ao orçamento do ano de 2018, cujo valor de R$ 3,381, encontra-se, em processo de execução.

De qualquer forma, enquanto em áreas prioritárias do município os valores são reduzidos pela atual gestão da prefeitura, nesta área que cuida da imagem do governo,  observa-se a majoração dos aportes de recursos orçamentários

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Orçamento da Assistência Social de 2019, do penúltimo ano do Governo Rafael Diniz, terá menos R$ 4,285 milhões na sua pasta



Orçamento da Área Social do Município de Campos para o ano de 2019/2018

Fonte: PMCG

Como se verifica no gráfico e na tabela, o orçamento do ano de 2019, da área social do município de Campos, reduzirá 6,58%, comparado ao orçamento em execução do ano de 2018. Em termos absolutos, a diminuição dos recursos chegará ao patamar de R$ 4,285 milhões. Se os vereadores aprovarem o Projeto de Lei Orçamentária. 
  
O valor aportado em toda a política de Assistência Social do Governo Rafael Diniz, para o ano de 2019, será de R$ 60,823 milhões. Em 2018 este valor foi de R$ 65,108 milhões. Importa salientar, o valor deste ano, encontra-se em processo de execução. 


Inflação de setembro fica em 0,48% pelo IPCA segundo o IBGE




Inflação de setembro de 2018 pelo  IPCA, segundo o IBGE.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Orçamento da Saúde do município de Campos crescerá no ano de 2019 em relação ao do ano de 2018, 12,72%





Orçamento da Saúde do município de Campos para o ano de 2019

Fonte: PMCG

Os valores do orçamento da área da saúde do município de Campos, para o ano de 2019, ficará em R$ 704,282 milhões. Tal valor crescerá 12,72%, em termos nominais, em relação ao orçamento aportado no ano de 2018, cujo quantitativo da dotação original está em R$ 624,785 milhões.

Realmente, o orçamento da área da saúde de Campos do ano de 2019, ficará num patamar financeiro, obviamente, se aprovado pelos vereadores, superior ao de milhares de municípios espalhados pelo nosso Brasil.   

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Que decadência de uma sociedade, ter Bolsonaro, como o primeiro mandatário!



Basta tirar a presidente Dilma que o Brasil melhora!






Após o processo eleitoral do ano de 2014, quando na ocasião, disputaram o segundo turno das eleições presidenciais, o candidato do PSDB, o senador Aécio Neves e a presidente Dilma do PT. Parece que nada mudou nestes últimos anos, pelo contrário, acho que a atual conjuntura política e econômica, encontra-se bastante confusa, recheada de muitas especulações e desconfiança.

À época do malfado impeachment, cujo crime de responsabilidade, ensejador do interrompimento do mandato da presidente eleita pelo voto direto, a frase em que mais se ouvia nas ruas  pelas vozes, dos segmentos econômicos, sociais, políticos e culturais do país, interessados em usurpar o mandato da presidente era a seguinte, “ basta tirar a presidente Dilma do poder que o Brasil melhora”. Apoiado nestas palavras, manifestantes foram às ruas vestidos de verde e amarelo, gritar palavras de ordem contra a presidente.

Esqueceram, certamente essas vozes, que o sucessor da presidente, era um homem do antigo PMDB, hoje MDB, partido comprometido historicamente, com a corrupção sistêmica da estrutura política brasileira, sem nenhuma autoridade moral, para assumir a instituição da Presidência da República. E por ela empreender um governo de transição, no sentido de entregar em janeiro de 2019, ao futuro presidente eleito, os destinos do país. Infelizmente, o escolhido pelo poder político e econômico, o presidente Temer, entrará para a história republicana do país, como o único presidente denunciado pelo Ministério Público Federal, por ato de corrupção. Denúncias  derrubadas duas vezes pelo Congresso Nacional.

Agora, em 2018, em razão talvez das desilusões provocadas nos últimos períodos, assiste-se, a continuidade do processo eleitoral de 2014, o ano que ainda não terminou. O pior disto tudo, as mesmas forças políticas e econômicas reacionárias, articuladoras do impeachment da presidente, protagonizam atualmente a cena, retornam em alto estilo, promovem  a defesa das mesmas ideias do passado, e com isso, alimentam a ilusão, de que o Brasil mudará a sua cara, em razão da eleição do Capitão do Exército e Deputado Federal pelo Estado do Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro. Que decadência de uma sociedade, ter Bolsonaro, como o primeiro mandatário!

Sinceramente, tenho imensas dúvidas sobre isso, não consigo identificar nenhum tipo de mudanças dentro da perspectiva bolsonarista, pelo contrário, observo que a sociedade brasileira, embarca numa aventura perigosa, autoritária, revanchista, xenófoba, homofóbica, racista, de intolerância, sem respeito aos direitos conquistados pelas mulheres, além de colocar, em risco os valores  democráticos brasileiros.  Se confirmar as intenções de voto dos institutos de pesquisas, o Brasil, sofrerá retrocesso histórico, seja do ponto de vista econômico, social, político e cultural. Os próximos quatro anos, serão extremamente difíceis para os brasileiros.

Acrescento, ainda, a candidatura de Jair Bolsonaro, está destituída de projetos, seja na área da educação, na área da saúde, na área da segurança pública e na economia. Construir a nação dos nossos sonhos, pautado no discurso de ódio, de segregação, com toda a certeza, o produto decorrente deste enfeixe, não será dos melhores. Já vi esse filme antes. Por isso, digo: #EleNão.

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Orçamento da Segurança Pública do município de Campos do ano de 2019 sofrerá redução de 31,42%, em relação ao do ano de 2018





Orçamento da Segurança Pública do Município de Campos de 2019/2018


Dando continuidade a publicação dos dados do orçamento do ano de 2019, do município de Campos, comparando ao orçamento do ano de 2018, aprovado pelos vereadores em 2017.

Verifica-se que, os recursos orçamentários aportados na área de Segurança Pública do município, sofrerá redução de 31,42% no exercício fiscal de 2019, caso os vereadores aprovem o Projeto de Lei Orçamentária, encaminhado pelo Poder Executivo, a honrosa casa de lei.

A guisa de esclarecimento, no ano de 2018, os valores aprovados foram de R$ 681 mil e no ano que vem será de R$ 467 mil, reiterando, se for aprovado pela Câmara.


Importa salientar, o orçamento da Segurança Pública, envolve todas as ações relacionadas a Guarda Civil Municipal, seja diretamente, como, também, indiretamente.   

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Orçamento da Câmara Municipal de Campos do ano de 2019 comparado ao orçamento do ano de 2018 crescerá apenas 0,33%, se for aprovado



Orçamento do ano de 2019/2018 da Câmara Municipal de Campos

Fonte: LOA de 2019

A partir de hoje daremos início, a uma série de publicações sobre o orçamento fiscal do ano de 2019, comparando ao orçamento de cada órgão do ano de 2018, cuja  execução, ainda, não terminou.

Começaremos com o orçamento da função Legislativa, ou seja, o valor que a Câmara Municipal, terá para gastar no ano de 2019.

Para o ano de 2019, o Poder Legislativo de Campos, terá como dotação orçamentária o valor arredondado de R$ 27,868. O crescimento em relação ao orçamento aprovado pela Câmara em 2017 para este ano, que foi de R$ 27,775 milhões, será de apenas 0,33%. Não chega nem a um porcento.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Preço do barril de petróleo tipo Brent já passa hoje dos US $ 83,00

 

Preço do barril do petróleo tipo Brent, já passa no dia de hoje dos US$ 83,00.

Preço do barril do petróleo tipo Brent aumentou 62,75% de junho a setembro de 2018. Boa Notícia!






Preço do Barril do Petróleo Tipo Brent

Fonte: Investing.com


A possibilidade da entrada em vigor das sanções comerciais dos Estados Unidos contra o Irã, no dia 4 de novembro, tem deixado o mercado do petróleo tipo Brent, nervoso. Em razão deste fato, os investidores vislumbram a possibilidade da oferta deste precioso produto reduzir. Com isso, os preços do barril sofreram variações significativas, como a guisa de exemplo, do mês de junho a setembro de 2018, o barril variou 62,75%, saiu do patamar de US$ 51,11 para encerrar o mês de setembro em US$ 83, 18.

Este movimento altista, por parte desta preciosa commodities tem melhorado sensivelmente, a arrecadação dos royalties e das participações especiais, dos estados e dos municípios produtores. Boa notícia!

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Mercado de trabalho do município de São João da Barra no mês de agosto de 2018, continua na trajetória de abertura de vagas





Mercado de Trabalho do município de São João da Barra - Agosto de 2018/2017 




Os dados sobre o mercado de trabalho do município de São João da Barra, divulgado pelo último CAGED, do mês de agosto de 2018, comparado ao mesmo período do ano de 2017, demonstram a reação por parte da economia local. A guisa de exemplo, o saldo líquido do emprego total em 2018 foi de 265 contratações e em 2017 de 49.


Os segmentos econômicos que abriram mais vagas, no mês de agosto de 2018, foram o da construção civil com 271 contratações e o de serviços com 38. Ambos os segmentos, estão ligados diretamente ou indiretamente, as obras do empreendimento do Porto Açu, como, também, aos investimentos da retomada das obras da ponte da integração.

De qualquer forma, a abertura de postos de trabalho com a carteira assinada, sempre, constitui uma boa notícia.
   

terça-feira, 25 de setembro de 2018

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Antecipação do décimo terceiro salário deve pagar dívidas




Os valores do décimo terceiro salário pagos antecipados por algumas empresas, devem ser direcionados para saldar  dívidas.

Execução Orçamentária do primeiro semestre de 2018 do município de Campo...

 

Execução Orçamentária do município de Campos, aspectos da despesa pública, de janeiro a junho de 2018.

Execução Orçamentária do primeiro semestre de 2018 do município de Campo...






Execução Orçamentária do município de Campos, aspectos da receita pública, de janeiro a junho de 2018.

De janeiro a agosto de 2018/2017 a economia de Campos gerou mais de três mil empregos e a de São João da Barra mais de mil. Que bom !



Mercado de Trabalho de Janeiro a Agosto de 2018/2017


Fonte: CAGED

De acordo com os dados do mercado de trabalho divulgado pelo último CAGED, percebe-se, melhora no cenário da empregabilidade de janeiro a agosto de 2018, tanto no Brasil, como no estado e nos municípios da região, exceto, o de Rio das Ostras, quando comparado, ao mesmo período do ano de 2017. Este ano, refere-se ao período subsequente aos dois anos, em que a economia brasileira, encontrava-se mergulhada em uma das suas maiores recessões. Por isso, os dados das contratações dos trabalhadores ficaram ainda negativos ou a quantidade de empregos gerados não foram tão expressivas.

Assim, como se verifica no gráfico e na tabela, no ano de 2018 a economia nacional encerrou os oito meses do ano, com o saldo líquido positivo de 568.551 empregos formais, contra 163.417 trabalhadores contratados em 2017.

Em relação a economia do estado do Rio de Janeiro, os números do mercado de trabalho continuam negativos. Todavia, pode-se dizer com base na pesquisa do CAGED, que a economia fluminense, apresentou números alentadores em 2018, ao se comparar ao ano de 2017. De janeiro a agosto de 2018, a destruição dos empregos foi de menos 4.036 e em 2017 de menos 76.175. Verifica-se, com isso, um cenário positivo de retomada do crescimento econômico do nosso estado.

No que tange, ao município de Campos, tanto nos oitos meses de 2018 como no de 2017, os números dos empregos estão positivos. Obviamente, por conta da sazonalidade da safra açucareira. Como se sabe, em 2018, a safra teve o seu início mais tarde, portanto, há uma concentração maior no período de 2018, com mais 3.143 empregos formais, contra 1.176 empregos no ano de 2017. Só que no mês de agosto de 2017, a safra do setor sucroalcooleiro entrava no seu processo de desaceleração. Por conta disto, as usinas já estavam demitindo os seus trabalhadores.

No que diz respeito a economia do petróleo em Macaé, em agosto de 2018, o saldo líquido ficou positivo em 932 empregos, em 2017 de janeiro a agosto, os números do emprego formal vieram muito ruins. Encerraram o período analisado, com menos 7.283 empregos.

Já o município de Rio das Ostras, em 2018 de janeiro a agosto enfrentou significativa piora, no seu quadro de empregos. Em 2018 perderam 339 empregos e em 2017 os números, a despeito de estarem negativos, ficaram menores em menos 165 empregos.

Agora, o município de São João da Barra, nestes primeiros oitos meses de 2018, aparece como destaque ao se comparar ao mesmo período de 2017. Como se observa, o saldo líquido do emprego de 2018 ficou em mais 1.005 empregos, contra, apenas, 165 contratações do ano de 2017. Tudo indica, diante destes números, que o grande empreendimento do Porto do Açu, começa a produzir impactos positivos sobre a curva do emprego formal do município. O que de certa forma, constitui-se uma boa notícia para a economia local e a regional.

Por fim, importa salientar, no período de janeiro a agosto do ano de 2018, a economia do estado e a de Rio das Ostras, ainda, apresentam cenários negativos de contratações formais de mão de obra.

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Mercado de trabalho do município de Campos, em agosto de 2018, começa a perder fôlego. Os dois segmentos econômicos que geraram postos de trabalho foram, apenas, a Ind. de Transformação e o de Serviços



Mercado de Trabalho do Município de Campos - Agosto de 2018/2017 
Fonte: CAGED


Segundo os dados do emprego publicado pelo CAGED, hoje, o mercado de trabalho do município de Campos no mês de agosto de 2018 gerou 59 postos de trabalho, contra menos 564 postos de trabalho relativos ao mês de agosto de 2017.

Os segmentos econômicos no mês de agosto de 2018, que encerraram o mês  com o saldo líquido do emprego positivo, foram a indústria de transformação, contratando 33 trabalhadores e o setor de serviços com mais 226 empregos formais. Os demais, infelizmente, destruíram empregos. Como comprova o gráfico e a tabela acima. Tudo indica que a curva da empregabilidade no próximo CAGED, já será negativa em razão do final da safra açucareira.          

ORÇAMENTO EMPREGO E RENDA PARA - 2019



Debate sobre o Projeto de Lei Orçamentaria do ano de 2019 do município de Campos. Bastante proveitosa a discussão. 



Arrecadação do IPVA do município de Campos está em queda




Arrecadação do IPVA da Prefeitura Municipal de Campos de janeiro a junho de 2018/2016 -Valores Correntes


O IPVA, imposto de competência estadual, cuja parcela  de cinquenta por cento do total da sua arrecadação, é dividida  com os municípios. No caso de Campos, os seus valores estão em queda.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Royalties e Participação Especial de R$ 737, 242 milhões, continuam sendo a maior receita do município de Campos na LOA de 2019




Receita do Projeto de Lei Orçamentária do ano de 2019 da Prefeitura Municipal de Campos

Fonte: LOA de 2019

A receita pública do Projeto de Lei Orçamentário, encaminhado pelo Governo Rafael Diniz, ao Poder Legislativo, totaliza o valor de R$ 2,021 bilhões, este quantitativo financeiro, representa a projeção do Orçamento da Prefeitura Municipal de Campos, do exercício fiscal do ano de 2019.

As principais receitas ficarão, assim, detalhadas na estrutura orçamentária. O IPTU ficará com valor de R$ 60,082 milhões, o ISS com R$ 79,490 milhões, o ITBI com R$ 17,632 milhões, a Contribuição sobre a Iluminação Publica com R$ 32,917 milhões, o FPM com R$ 54,604 milhões, os Royalties e a Participação Especial com 737,242 milhões, o ICMS com 256,286 milhões e o IPVA com 29,018 milhões.

O destaque dentro do quadro das receitas do orçamento do ano de 2019, ainda continua sendo os royalties e a participação especial, sobre os poços de petróleo de maior produção. Esta fonte preciosa de receita para o município, representa 36,47% do valor total da peça orçamentária, fixado para o ano que vem.

Para maior esclarecimento, dentro do contexto das finanças públicas do município, importa salientar, as rendas das indenizações pela exploração do petróleo, continuam na condição da maior fonte de receita da prefeitura e o ICMS, a segunda. Vamos aguardar a partir de agora, a aprovação da LOA pelos ilustres vereadores campistas. 

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

A área da Saúde do Município de Campos terá no ano de 2019 o valor de R$ 704,282 milhões para implementar os seus gastos





Orçamento por Funções do Ano de 2019

Fonte: Projeto de Lei Orçamentária de 2019

O orçamento do Município de Campos, no ano de 2019 será de R$ 2,021 bilhões. No gráfico e na tabela estão os valores referentes as principais funções orçamentárias.  

Como se observa, a Saúde ficará com o valor de R$ 704,282 milhões ou 35% de todo o orçamento.

A área da Educação, foi contemplada com o valor de R$ 404,816 milhões ou 20% da peça orçamentária. O urbanismo com o valor de R$ 148.347 milhões ou 7% do orçamento.

Em relação a Agricultura, a dotação orçamentária será de R$ 14, 758 milhões ou apenas 1%, a Comunicação R$ 4,069 milhões, o setor de Transporte Público R$ 26,462 milhões, a Assistência Social R$ 60,823 milhões e a área de Esporte e Lazer o quantitativo de R$ 3,454 milhões.
   
Tais valores ficarão à disposição do prefeito de Campos, após aprovação pela Câmara, para que possa implementar as políticas públicas, tão necessárias, ás diversas áreas do nosso município.  

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

2019 o penúltimo ano do Governo Rafael Diniz, a Secretaria de Saúde terá orçamento de R$ 704,282 milhões. Que beleza!






        Saldo Orçamentária de Cada Secretaria da Prefeitura Municipal de Campos para o exercício fiscal de 2019 
fonte: Projeto de Lei Orçamentária de 2019

Na tabela, estão os valores relativos as dotações do Orçamento Público, da Prefeitura Municipal de Campos, que vigerá no ano fiscal de 2019, após a sua aprovação pela Câmara Municipal de Campos.

Como está destacado em vermelho, as secretarias que receberão o maior aporte de recursos orçamentários, decorrentes dos impostos dos cidadãos campistas serão:  a da Administração com 12%, a da Saúde com 35% e a de Educação com 20%.

A secretaria de Saúde, somente, terá o milionário orçamento de R$ 704,282 milhões. Um orçamento, que milhares de municípios espalhados pelo Brasil não possuem, para uma Saúde oferecida à população de quinta categoria. Que tragédia! 


Arrecadação do ITBI melhora em 2018





Arrecadação do ITBI de janeiro a junho de 2015 a 2018
fonte:PMC

A arrecadação do ITBI melhora no primeiro semestre do ano de 2018.


Arrecadação do ISS em queda





Arrecadação de ISS de janeiro a junho de 2015 a 2018

fonte: PMCG

A arrecadação do ISS da Prefeitura Municipal de Campos indica tendência de queda. Economia local continua patinando. 

Seis meses de arrecadação de IPTU de 2015 a 2018







Arrecadação do IPTU de janeiro a junho de 2015 a 2018


fonte: PMCG

Cresce a arrecadação do IPTU da Prefeitura Municipal de Campos. Boa notícia!

Governo Diniz, gasta quase um milhão de reais em passagens de avião no primeiro semestre de 2018, enquanto na Agricultura, aplica apenas o valor de R$ 124,950 mil.Inacreditável!





Gastos Realizados de janeiro a junho de 2018/2017- Em Valores Correntes 

fonte: PMCG

No primeiro semestre do ano de 2017 o governo municipal gastou na área da Saúde, o valor de R$ 353,900 milhões, no mesmo período do ano de 2018, os gastos foram de R$ 358,175 milhões, ou seja, mais 1,21%.

Em relação aos gastos da Educação, nos primeiros seis meses de 2017, foram aportados R$ 144,466 milhões.  Já no ano de 2018, ocorre o crescimento de 5,47%, totalizando, assim, o valor de R$ 152,363 milhões.

Agora, o relevante segmento econômico de Campos, Agricultura, parece que vive neste governo, o seu momento de extremo desprezo. No ano de 2017, foram aportados nesta área R$ 66,00 mil reais e no primeiro semestre de 2018, o quantitativo de 124,950 mil. Ainda para piorar a situação acintosa dos gastos públicos municipais na Agricultura, este setor,  consegue perder para os gastos relativos às aquisições de passagens aéreas no primeiro semestre do  exercício fiscal de 2018, quando, neste item de despesa o Governo Rafael Diniz, aportou o valor de R$ 962,618 mil, quase um milhão de reais. Com isso, pode-se afirmar, em sintonia com os  dados financeiros, os gestores atuais, vivem numa profunda viagem. Para tristeza da sociedade de Campos.

No que tange a área social, no primeiro semestre de 2017 os gastos foram de R$ 31,826 milhões e em 2018, foram reduzidos para R$ 15,718 milhões. Uma queda na aplicação de recursos de 50,61%.

No que diz respeito, a Câmara Municipal, órgão cujas atividades são indispensáveis à dinâmica da política campista. Gastou no primeiro semestre de 2017 o valor de R$ 11,893 milhões e em 2018, o valor de R$ 14, 116 milhões. Os gastos do Poder Legislativo cresceram 18,69%.

A Comunicação Social também teve os seus gastos elevados no primeiro semestre de 2018 em 425,40%. Em 2017 foram de R$ 264,189 mil e em 2018 chegaram ao patamar de R$ 1,388 milhão.

Por fim, importa salientar, diante do contexto acima, acho que os atuais inquilinos da prefeitura, contemplam alguns segmentos econômicos, em detrimento das áreas prioritárias do município. Até quando?   

    

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Investimentos de R$ 8,392 milhões do Governo Diniz no primeiro semestre de 2018 contra R$ 376,669 mil no mesmo período do ano de 2017



Folha x Investimentos - em Valores Correntes

Fonte: PMCG


De acordo com a execução financeira do primeiro semestre do ano de 2018, comparado ao mesmo período do ano de 2017, da Prefeitura Municipal de Campos.

Observa-se que, os gastos relativos a folha de pessoal, considerando, uma parte do décimo terceiro do ano de 2017, pago no mês de fevereiro deste ano, ficou em R$ 497,444 milhões, enquanto, a do ano passado ficou em R$ 473.148 milhões. O aumento foi de 5,14%.

No caso dos investimentos do primeiro semestre de 2018, o valor chegou ao patamar de R$ 8,392 milhões e o de janeiro a junho de 2017 ao quantitativo  financeiro de R$ 376,669 mil. Ocorreu crescimento significativo, desta relevante despesa de capital no período analisado, em virtude, obviamente, do ínfimo aporte financeiro relativo ao ano passado.

Gastos do Governo Diniz na Comunicação Social cresceram 425,40% no primeiro semestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano de 2017, enquanto na Agricultura cresceram apenas 89,32%



Gastos da Comunicação Social x Agricultura do primeiro semestre de 2018/2017- em Valores Correntes 

Fonte: PMCG

Ao analisar os dados do Demonstrativo da Execução das Despesas por Função/Subfunção, dos primeiros seis meses do ano de 2018 em relação ao mesmo período do ano de 2017, do Governo Rafael Diniz.

Verifica-se, que os gastos relativos a função Comunicação Social, aumentaram no primeiro semestre do ano de 2018 425,40%, em relação aos valores executados, referentes ao mesmo período do ano de 2017. Em 2018, conforme o demonstrativo, a despesa liquidada foi de R$1,388 milhão e em 2017 chegou apenas ao quantitativo financeiro de R$ 264,189 mil.

Agora, no que tange a despesa liquidada dos seis primeiros meses do ano de 2018 da função Agricultura, constata-se que os gastos ficaram no patamar de R$ 124,950 mil, enquanto no ano de 2017 de janeiro a junho, tais valores foram de R$ 66,00 mil. A elevação foi de 89,32%.

Ainda sobre a Agricultura, o orçamento da Superintendência de 2018 está fixado em R$ 16,339 milhões. Como se observa nos dados do gráfico e na tabela, os gestores atuais, executaram somente no primeiro semestre deste ano o valor de R$ 124,950 mil, ou seja, 0,76% nem 1%, em seis meses.

De acordo com o contexto acima, pode-se afirmar, na atual conjuntura, além da inversão de prioridade nos gastos da prefeitura, investindo mais em Comunicação Social e menos em Agricultura. O orçamento desta pasta, tudo indica, em seis meses de execução orçamentária, ficou bastante elevado, ou melhor dizendo, não será realizado na sua totalidade até dezembro. Infelizmente! 

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Consumidores de bens e serviços de baixo valor agregado!





Salário médio mensal dos trabalhadores formais 
Fonte: IBGE Cidades


Considerando os quatro municípios analisados, o município de Macaé, possui a maior renda média formal. Segundo o IBGE, ela representa 6,6 salários mínimos mensais. Entre os 5.570 municípios está em 3º lugar e no Estado do Rio na 1º posição. Por conta, obviamente, dos altos salários pagos pela economia do petróleo.

Em segundo lugar, figura o município de Rio das Ostras, com 3,6 salários mínimos por mês. A nível nacional o município está 58º lugar e no estado na 4º posição.

Logo em seguida vem o município de São João da Barra, com 3,2 salários mínimos ao mês, ocupa o 3º lugar pela tabela, o 115º no Brasil e o 8º no estado.

O município de Campos, a renda média formal ao mês está em 2,5 salários mínimos, encontra-se, na 502º posição no Brasil e no estado a 15º posição.

Dentro do contexto acima, pode-se dizer, as economias da região possuem na média baixo poder aquisitivo, exceto, a economia de Macaé. Isso configura, como uma notícia negativa do ponto de vista econômico. São consumidores de produtos de pequeno valor agregado. Infelizmente!

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Falácia do Desenvolvimento Econômico de São João da Barra




Por Alcimar das Chagas Ribeiro




A prumo divulgou um balanço atualizado sobre a movimentação no porto do Açu esse ano. De janeiro a agosto foram movimentadas 600 mil toneladas em seus terminais, número maior do que toda a movimentação em 2017. Foram recebidas 55 embarcações e foram expedidas 38 mil carretas. Resultados fantásticos não absorvidos pelo município de São João da Barra, sede do mesmo porto. Vejam que no período de janeiro a julho desse mesmo ano, o comércio local gerou somente 3 empregos, enquanto o setor agropecuário gerou 2 empregos. Ainda com toda movimentação nos anos anteriores, a arrecadação de ISS em 2017 equivalente a R$43,1 milhões é exatamente a mesma de 2016 contabilizada em R$43,1 milhões. É bom lembrar que a receita de ISS em 2015 atingiu R$61,3 milhões. Ou seja, nos últimos dois anos temos uma forte queda de 29,7% em relação a 2005. SÃO MUITAS CONTRADIÇÕES!

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Orçamento deste ano do Museu Nacional foi fixado em R$ 50 mil e para barrar as denúncias de corrupção Temer gasta bilhões para comprar deputados e senadores. Brasil!!!



Tragédia do Museu Nacional do Rio de Janeiro 

Fonte: G1

O mundo assistiu ontem pela televisão e redes sociais, o Museu Nacional do Rio de Janeiro, ser destruído pelas chamas do deplorável incêndio, decorrente do descaso das autoridades brasileiras, em relação a mais este patrimônio histórico.

São duzentos anos de história que se perdeu em apenas algumas horas. Os hidrantes, que deveriam estar com água para que os bombeiros pudessem iniciar as suas atividades laborais, se encontravam totalmente seco. Além do mais, o imponente prédio há anos estava sem manutenção, o pior disto tudo, não tinha mecanismos internos suficientes, para em caso de sinistros como o que ocorreu, serem acionados e impedidos, a tragédia certamente anunciada.

Infelizmente, o desgoverno Temer, possui outras prioridades. Como por exemplo, o de gastar bilhões do Orçamento da União, no sentido de comprar deputados e senadores a preço de ouro, e assim, barrarem às duas denúncias, feitas pelo Ministério Público Federal,  por ato de corrupção, impedindo, com isso, que o ilustre presidente, respondesse perante ao Supremo Tribunal Federal, pelos crimes imputados a sua pessoa.

A desídia, no que tange a coisa pública chega a ser gritante, quando se verifica que orçamento financeiro, do ano de 2017, do Museu Nacional do Rio de Janeiro, era de R$ 500 mil reais. E este ano foi fixado em apenas R$ 50 mil. As autoridades do nosso país debocham da população. Até quando?

Estado do Rio de Janeiro lidera ranking do desemprego!




                          Desemprego no Período de Quatro Anos
Fonte:IBGE

O IBGE publicou, a variação percentual entre o segundo semestre do ano de 2014 e o segundo semestre do ano de 2018, dos cinco estados da federação que lideram o ranking do aumento do desemprego, são eles: Rio de Janeiro, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Amapá e Roraima, conforme o gráfico e a tabela.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Setores importantes da economia brasileira defendiam, um presidente da Republica liberal, igual ao Macri. E agora que o barco afundou ?


Argentina no olho do furação econômico





A economia argentina, buscou socorro financeiro de US$ 50 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI), no começo do ano, no intuito de tentar resolver os problemas de ordem econômica, que aflige atualmente todo o país.  

Ontem, infelizmente, o peso argentino entrou num processo de maxidesvalorização, quando na ocasião, o dólar passou a valer no final do dia quarenta pesos. Diante deste quadro caótico de volatilidade, o Banco Central, rapidamente cumpriu a sua função, elevou a taxa básica de juros do patamar dos atuais 45% ao ano para 65%. Numa demonstração clara, de preocupação da autoridade monetária, em face do desequilíbrio do mercado cambial.

Em razão, desta instabilidade, o governo Macri, resolveu elaborar para publicá-lo na semana que vem, um pacote de ajuste econômico, que tudo indica,  levará a economia portenha, a uma profunda recessão, jamais vista em toda a sua história.


Engraçado que há três anos, setores importantes da economia brasileira, afirmavam que o Brasil, precisava de um Presidente da República liberal, igual ao do país vizinho. E agora, que o barco afundou as vozes defensoras do ilustre presidente sumiram. Vida que segue!



quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Segmento econômico da construção civil apresenta o melhor desempenho na geração de empregos da economia de São João da Barra no mês de julho de 2018




Saldo Líquido do Emprego do Mês de Julho do Ano de 2018/2017 do Município de São João da Barra 

fonte: CAGED

O mercado de trabalho do município de São João da Barra, no mês de julho de 2018, apresentou significativa melhora na geração de vagas de empregos formais, em relação ao mês de julho do ano de 2017, segundo os dados publicados pelo último CAGED. O saldo líquido total de julho de 2018 ficou positivo em 255 empregos, enquanto em julho de 2017, o saldo total foi de, apenas, 20 postos de trabalho a mais.

Os segmentos econômicos, responsáveis por este desempenho favorável ao cenário do emprego no município, são o da construção civil, com 183 vagas, o de serviços com mais 52 empregos e o comércio com mais 14 postos de trabalho. Tais números, constituem uma boa notícia para a economia local. Esperamos que seja uma tendência.